sábado, 28 de julho de 2012

Desculpas e desculpas...

O nosso cérebro está preparado para nos defender de qualquer tipo de dor, fisica ou psicológica/emocional. Por isso quando a dor física é muito grande ás vezes entramos em "choque", ou chegamos a perder os sentidos, são formas de o cérebro nos defender.
Na parte psicológica/emocional existem tantas formas de aplicar a sua defesa.
São por exemplo desculpas e mentiras que contamos a nós próprios, histórias tão bem contadas e inventadas que mesmo nós passamos a acreditar que são verdade. E assim as oportunidades vão passando ao lado, a vida vai passando do outro lado da linha do comboio e nós ficamos na estação á espera do próximo comboio que nos leva em direcção errada!
Quando nos encontramos em situações que nos provocam stress, tensão, mal estar, em vez de as enfrentarmos e ultrapassarmos como seria o mais certo, por medo e insegurança evitamos-as, adiamos-as, eliminamos-as. E a partir daqui recusamos a verdadeira razão do medo e insegurança, pois esta verdade poderia criar uma pressão insuportável dentro de nós, e começamos a inventar as tais histórias. Tanto as repetimos que passam a ser a nova "verdade".
Enquanto continuarmos a dar respostas como "Eu sou assim e pronto", "Queria tanto mas não tenho tempo", "Aqui as coisas funcionam assim, não há nada a fazer", "Afinal a mim não me importa nada", "Se eu fizer de maneira diferente não mudaria nada", "Se o destino quiser assim será"...etc, etc, etc...
Não é fácil sair daqui, e é tão fácil voltar lá! É uma luta diária com nós próprios, com o nosso pensamento. Não é fácil tentar conviver com a insegurança e o medo como se fossem os nossos melhores amigos e sentir que os podemos enfrentar, não é fácil experimentar sair da nossa zona de conforto, do mundo que conhecemos de cor e salteado, não é fácil caminhar um pouco ás escuras e vencer aquela sensação de perder o chão! Ninguém disse que ía ser fácil, mas depois vai valer tanto a pena...