domingo, 17 de abril de 2016

CARDIO EM JEJUM! RESPOSTA ÁS VOSSAS MENSAGENS!

Como vocês repararam, e muitos de vocês fizeram comentários e enviaram-me várias mensagens privadas sobre isso, nesta fase, bem próximo da minha próxima competição, faço habitualmente, (cerca de 4/5 vezes por semana) cardio em jejum. 





Muitos de vocês querem saber o porquê desta opção, se eu defendo esta técnica em vez de outras, se esta é a melhor para vocês e a que aconselho..neste tema instala-se sempre a polémica e confusão.

Pois bem, como sempre, cada caso é um caso e passo então primeiro que tudo a explicar o que é o cardio em jejum, ou também chamado aeróbica em jejum, como funciona e que impacto tem no interior do nosso corpo e o porquê desta opção no meu caso. 

Normalmente o gicogénio (hidratos de carbono) é a fonte de energia principal utilizada pelo nosso organismo. 
Alguns estudos indicam que o cardio, quando realizado de manhã em jejum, queima até cerca de 20% mais de gordura do que quando realizado após uma refeição matinal. 
O AEJ é eficaz porque enquanto dormimos, estamos em repouso e em jejum, ou seja, quando acordamos de manhã, após o jejum nocturno, temos os níveis de glicogénio baixos, os nossos níveis de insulina em baixo e as nossas reservas de gordura mesmo “desamparadas” e prontas para serem utilizadas. Não tendo outras fontes de energia disponíveis e em alta, o corpo vai buscar fontes alternativas, ou seja, a gordura armazenada nos adipócitos, e assim esta vai ser a fonte de energia principal a ser utilizada durante o treino. 









Mais um facto curioso é que pesquisas demonstraram que o AEJ aumentam os níveis de VO2max, ou seja, a nossa resistência cardiovascular é aumentada quando utilizada esta técnica habitualmente. 

De salientar que o cardio em jejum é realizado com intensidade baixa/moderada, e deve ter uma duração entre 30 a 45 minutos para garantir que as gorduras serão utilizadas como fonte de energia primária. Se utilizares uma intensidade muito forte provocas a libertação de hormonas, como o cortisol, provocas a degradação da massa muscular e interferes nos níveis da hormona do crescimento, e tudo isto é o que não pretendemos perdendo-se o objectivo do AEJ. 
Se repararem a maioria dos atletas que se preparam para uma competição de culturismo utilizam esta técnica como prioridade no que diz respeito ao cardio. Isto é essencialmente porque o cardio em jejum é realmente eficaz em certos momentos e casos específicos como este. Já Jim Stoppani diz que o cardio em jejum pode funcionar muito bem em homens com uma percentagem de gordura no corpo em torno dos 5,6% e nas mulheres com cerca de 13% ou menos de massa gorda, especialmente se têm algum problema bem localizado de gordura nas coxas ou zona lombar. 
Esta é mais uma das vantagens do cardio em jejum. Não só utiliza a gordura corporal como fonte principal de energia em vez dos hidratos armazenados, mas também queima zonas específicas como as coxas e ancas nas mulheres e abs e zona lombar nos homens. Estas zonas são as mais difíceis de queimar e por isso as ultimas a sofrerem a transformação do treino e dieta. 

Uma dica que vos posso deixar, para quem quiser experimentar e se encontrar também nestes casos de que falei, é tentar suplementar antes do cardio com cafeína por exemplo. A cafeína vai elevar os níveis de catecolaminas no corpo e estimular enzimas de forma a queimar mais ácidos gordos e alcançar resultados ainda mais rapidamente. 
Não esquecer e muito importante, de beber água (bebo pelo menos 0.5L antes) antes, durante e depois do cardio e não esquecer que jejum é jejum, literalmente ok?


No entanto reparem que quem normalmente utiliza este cardio, é tal como eu referi, atletas que se preparam ou estão numa fase com objectivos muito específicos, portanto são indivíduos que á partida têm uma resistência e capacidade mais elevadas do que as pessoas sedentárias ou não habituadas a actividade fisica e pouco condicionadas. Pessoas que não estão treinadas podem sofrer de tonturas, nauseas, quebras de tensão, vómitos, pois o corpo delas ainda não está preparado nem habituado a estas oscilações. 
Antes ainda de incluires este tipo de cardio no teu dia a dia é importante verificares que estás a seguir uma alimentação adequada, com a quantidades certas de macro nutrientes no teu dia e só depois avaliar esta possibilidade. 

Bons treinos!